Entrevista com Carla Barros, da Hélade Companhia de Teatro/DF

Entrevista realizada dia 26/09/2008 – antes do resultado do IV Festival Nacional de Teatro de Rio das ostras/ RJ
Por: Renato Mello

Carla Barros é da nova geração de diretores do Brasil que se preocupa realmente com o que está fazendo, que se preocupa em mostrar um teatro com conteúdo e qualidade para o seu público; carioca, tendo começado a carreira teatral em Belo Horizonte e atualmente com sua Companhia em Brasília – a Hélade Companhia de Teatro – , Carla procura fazer um teatro brasileiro, de todos os lugares e de lugar nenhum, aproveitando as culturas que já teve oportunidade de conhecer de perto, e outras que estudou.
Seu último espetáculo, “Áridas Flores”, escrito pelo seu companheiro e parceiro na Hélade Gustavo Costa, recentemente participou do IV Festival Nacional de Teatro de Rio das Ostras/RJ, sendo a única Companhia do centro-oeste classificada, e sendo este o primeiro festival competitivo que a Companhia participou. O saldo foi mais que positivo: Gustavo Costa foi indicado ao prêmio de Melhor Texto, e a atriz Thaís Ferreira indicada ao prêmio de Melhor atriz.
Para uma “família” teatral iniciante – é assim que Carla se refere sobre os componentes de seu grupo, algo raro nesse meio – ,definitivamente foi um lucro e tanto.
Esta é uma entrevista feita para os que conhecem/amam/gostam de teatro, e também – e talvez, principalmente, para os que não têm a menor noção de como são feitas as coisas no meio; as dificuldades, a paixão, questões técnicas, enfim… aproveitem, e leiam

1- A Hélade começou em 2006… o que levou você a fundar uma companhia de teatro em um país como o nosso, que não dá o menor apoio à cultura?

exatamente a vontade de poder mostrar um trabalho digno, com muita luta e dedicação, para que a minha Companhia fosse mais uma voz dentre as milhares que cobram mais ação por parte do governo e sociedade.

2 – Quais as necessidades e/ou carências que o teatro brasileiro demonstra possuir de forma mais contundente hoje em dia, na sua opinião?

O teatro brasileiro hoje necessita de maiores subsídios e apoios financeiros, além de mais interesse por parte das empresas de médio e grande porte. Quando digo teatro brasileiro, falo do todo, e não apenas dos grupos que trabalham unicamente com um estilo dramático, pois esses são os que detêm o pouco que temos a nosso favor. Também precisamos formar novos públicos, novas cadeias de pensamento.
Temos que pensar nas crianças e adolescentes e mostrar que o teatro auxilia na formação individual e coletiva do ser humano.

3 – Você fala da necessidade da formação de novos públicos; como crê ser possível o teatro fazer isso, concorrendo com tantas outras mídias de maior apelo aos jovens de hoje,como a internet,por exemplo?E dentro desta pergunta:Não estaria na hora do teatro fazer uma autocrítica de sua qualidade para perceber porque perde espaço para outras mídias?O cinema brasileiro por exemplo voltou a crescer…

A formação de novos públicos é algo que vem sendo falado há muito tempo, mas só agora vejo uma movimentação. Pelo menos aqui em Brasília, onde pequenas companhias vem sendo formadas e, cada dia mais, trazendo novas pessoas para o meio cultural. São pessoas que jamais tiveram a oportunidade de conhecer um espaço cênico ou assistir um espetáculo. É algo encantador de se ver e de se poder promover. Quanto as outras mídias, nós do teatro, temos que aprender a lidar com elas ao nosso favor. Temos varios exemplos de produções culturais que estão utilizando a internet como meio de divulgação. É algo que cresce cada vez mais. Não podemos ficar parados, estáticos perante um mundo que corre muito mais rápido que nós. Temos que agir e lutar pelo nosso campo. Quanto a autocrítica … qualidade é algo que devemos lutar para alcançar. Ao meu ver, alguns grupos ainda pensam de forma errônea ao achar que fazer sucesso é a finalização de um processo teatral. Não. Primeiro que no teatro não há finalização. Teatro é um processo constante de velar e desvelar (parodiando as palavras de Martin Heiddeger – filósofo alemão). O importante é saber o sentido que deve se dar a um processo. Qual o objetivo? Qual a função social que seu espetáculo quer desenvolver. Isso é importante. Isso é teatro. E, fico feliz ao perceber que muitos grupos de Brasília enxergam dessa forma.

8 Respostas to “Entrevista com Carla Barros, da Hélade Companhia de Teatro/DF”

  1. Renato Mello Says:

    Só para informar… esta entrevista continua no link >>> https://bettyboop08.wordpress.com/entrevista-com-carla-barros-da-helade-companhia-de-teatrodf/entravista-com-carla-barros-teatro-ii/
    Ou em “Páginas”, à direita no blog, escrito como : Entrevista com CARLA BARROS – TEATRO II
    Abraço a todos,
    Renato Mello

  2. Alberto Vargas Says:

    Muito interesante as palavras da diretora. Nos provam que existe massa crítica e cérebro fora do eixo Rio-SP já tão massacrado pela mídia.
    É bom saber que há gente que se dedica à arte com humildade e sem a pretensão de querer ficar famoso e fim.

    Parabéns Carla, Parabéns Hélade!

    Merda pra vocês!

  3. Alberto, muito obrigada por suas palavras. Fico lisonjeada.
    Abraços,
    Carla Barros.

  4. Michelle Paiva Says:

    Interesante perceber alguem de brasília falar com tanta propriedade sobre um campo de trabalho tão deixado de lado e discriminado não só por leigos mas, às vezes, pelos próprios colegas da classe. Muito bom saber que ainda podemos, como no humanismo Italiano, formar não apenas Cias. Teatrais, ms sim grandes famílias com absoluta profisssionalidade.
    Abraços,
    Michelle Paiva
    Artiz e Professora de arte.

  5. Michelle Paiva Says:

    olá Renato não o coneço mas desde já agradeço por um site com tanto conteúdo cultural oferecido com qualidade e segurança. A internet traz benefícios, mas nem sempre esses são seguros, este site é excepcional. Parabéns, por iniciativas afetivo-culturais tão brilhantes.
    abs,
    Michelle Paiva

  6. bettyboop08 Says:

    OLA TODOS

    MEU NOME E MONICA DE OLIVEIRA E AGRADEÇO A TODOS POR POSTAREM SUAS OPINIÕES E O CARINHO e INCENTIVO ….
    e MEUS PARABENS AO RENATO MELLO POR SER UM OTIMO COLABORADOR
    E ENTENDER MINHA MOTIVAÇÃO EM DIFUNDIR A ARTE DE TODOS PARA TODOS.

  7. Renato Mello Says:

    Michelle Paiva, agradeço, querida, mas o site e os devidos créditos devem ser dados à Mônica de Oliveira, dona do site… e uma amiga que fiz recentemente pela net…
    Uma pessoa que têm visão por saber que a Arte deve sim ser DEBATIDA, e não simplesmente colocada como um “alívio anti-stress” para as pessoas de fora do meio… ARTE é algo que pode fazer MUITO por nossa sociedade, e por isso mesmo agradeço DEMAIS à Mônica, que percebe isso e me permitiu um humilde cantinho aqui no Blog…
    Podem ter certeza que nos esforçaremos cada vez mais para colocar mais e mais material de qualidade aqui. E critiquem MESMO, para o bem ou para o mal; sabemos que não existe crescimento sem crítica, e esse espaço não seguirá crescendo sem a ajuda de vocês.
    A todos, grande beijo, e à Mônica, mais uma vez, o meu MUITO OBRIGADO!!!!!
    Renato Mello

  8. Mônica, concordo com o Renato. É muito prazeroso saber que podemos contar com pessoas como vc, que está a favor da cultura brasileira e faz o está ao seu alcance para difundir as bases artísticas que possuimos nesse “Brasilzão” que temos.
    Mais uma vez, obrigada pela oportunidade. Fiquei muito orgulhosa de poder participar de seu site.
    Abraços,
    Carla Barros

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: